Translate

sábado, 9 de junho de 2012

Os três Mistérios Fantásticos que rondam São Luiz Gonzaga


Este texto, fruto das minhas sábias reflexões, foi publicado na Revista Região nº 3* e anteriormente neste mesmo blog, porém simplificado; por achar interessante republico com melhor aprofundamento dos temas.


OS TRÊS MISTÉRIOS FANTÁSTICOS QUE RONDAM SÃO LUIZ GONZAGA!

Dizem os sábios que: conversa de artista, de guia turístico e de político a gente tem que dar um desconto, pois às vezes, devido à emoção, exageramos um pouquinho...
Acredito que o Turismo Cultural será nossa melhor alternativa econômica tanto em épocas de fartura como em períodos de estiagem, repartir cultura além de ser algo nobre, sustenta economicamente muitas cidades por este mundo todo.
Apresento neste texto, três grandes mistérios fantásticos que rondam nossa velha São Luiz Gonzaga.
Existem muitos mais, mas enumerei três mistérios tremendos, daqueles de serem feitos vários livros sobre cada tema e que até o momento, surpreendentemente, não despertou interesse aos meus irmãos historiadores...
Cada Mistério está relacionado a um ponto turístico cultural ainda não explorado; verdadeiras jazidas a serem descobertas.
Eis eles então:

1º Mistério Fantástico rondando São Luiz Gonzaga:

TRATADO DE MADRID E SUA VERDADE OCULTA:
O que estava por de trás daquele sinistro tratado? (Para quem esqueceu as aulas de história no tempo de colégio: no tratado houve a troca da Colônia do Sacramento (Uruguay) pelas Missões em 1750).
Quem coordenava as mãozinhas dos soberanos?
Será que foi apenas a realeza trocando terrenos?
Que medo a união dos Jesuítas com os Guaranys despertou nos seus co-irmãos religiosos?
De uma nova pátria? Ou de uma NOVA RELIGIÃO, desvinculada da igreja de Roma?
Acaso um canetaço (ou pena, pois não existiam canetas naquele tempo) do Padre supremo da época não anularia o tratado e evitaria tantas mortes??
A poderosa Roma que se fosse sua vontade, num estalar de dedos tudo resolveria...
Essa interferência mudaria a história de São Luiz Gonzaga e das Missões...
Aos Missioneiros, estranhamente, não lhes foi dado o direito algum de defesa.
Sepé tornou-se guerreiro pela necessidade da situação; no seu exemplo da barreira viva, lutou com suas armas: inteligência e amor aos seus.
O seu exemplo de resistência e força encanta a todos nós, pois a defesa é um direito de todo ser humano em qualquer plano.




Mas ainda fica sem resposta a pergunta:
 “Quem realmente matou o são-luizense Sepé Tiaraju??”


2º Mistério Fantástico rondando São Luiz Gonzaga:

A COLUNA PRESTES E O NASCIMENTO DO GÊNIO ESTRATEGISTA
Como surgiu um dos maiores estrategista militar da história??
Por que Prestes responde ao escritor Nelson Werneck em seu livro: “A Coluna Prestes”, que foi precisamente em São Luiz Gonzaga que ele realizou sua mais importante estratégia?
Aqui onde ele ficou dois meses e de onde Realmente saiu a Coluna!
Que fantástica inspiração foi aquela de derrotar o tão propagado “Anel de Ferro” do governo federal? De onde ela veio?
Como ele conseguiu ludibriar mais de 14.000 soldados governamentais sem dar nenhum tiro? Sem transformar a cidade de São Luiz Gonzaga em um sanguinolento campo de batalha?
Que brilhante e milagrosa estratégia foi essa??
Que influência teve as orações a Nossa Senhora de Lourdes, provindas das senhoras da comunidade São-luizense, coordenadas pelo Monsenhor Estanislau Wolski, nisso tudo?
Que força havia naqueles corações sinceros que clamavam a Nossa Senhora para que não houvesse o confronto das tropas em seus lares e que existissem: “Paz entre os homens”?
Como se operam os milagres? Ou será que tudo foi apenas mera coincidência?
Estatueta que fiz, no ano de 2002, em homenagem a Coluna Prestes, encontra-se no Museu Arqueológico de São Luiz Gonzaga. Título da obra: "Reflexões em Marcha". Nela Prestes está armado apenas com seus mapas e estratégias, a mão direita por sobre a esquerda tentando apaziguar...A dureza daqueles mais de 25 mil km descortinuou ao seus olhos um pais gigante porém com um povo sofrido e desconhecedor de seu próprio sofrimento...


3º Mistério Fantástico rondando São Luiz Gonzaga:

O SENTIMENTO DE MISSIONEIRISMO
Tal qual Florença, berço das Artes do Renascimento, há algo a mais no solo desta terra do que apenas riqueza de componentes minerais.
O que nos faz sermos tão parecidos com os florentinos? De querer mostrar ao mundo aquilo que somos herdeiros e está soterrado?
Falo dessa ânsia de ganhar o ar, de subir à superfície; de ser ouvido, de poder falar; não falar por falar, mas por saber que é urgente falar...
De rasgar o véu de sonolência que nos cobre a centenas de anos!

O que há de imaterial vibrando nesse rincão do mundo? Muito bem representado pelos inúmeros artistas Missioneiros, que com suas obras no chamado Estilo Missioneiro, carregadas de ânsias, traduzem e reivindicam o esplendor que foram as Missões.
Esse sentimento não é exclusividade de quem nasce por aqui, mas também de quem vive, e há até de casos de alguns que por aqui apenas passaram e preservam esse sentimento...

Como surgem os artistas? Que fino fio separa o Gênio do genioso?
Dia 30 de Janeiro, dia do Pajador, data para homenagear um dos maiores divulgadores desta terra: Jayme Caetano Braun o mestre da Payada, da dificílima arte de opinar cantando.
Além da data e do Monumento em sua homenagem, acaso um memorial com informações dele e de todos artistas em todas as áreas não aumentaria o fluxo turístico na nossa cidade? Um local com as Raízes Missioneiras ao alcance de todos não transformaria São Luiz Gonzaga em uma referência cultural?
O mundo procura incansavelmente por Cultura para preencher as respostas da existência e esse produto nobre nós temos em abundância para oferecer!

Visite São Luiz Gonzaga! Conheça as Missões!

Vinícius Ribeiro-escultor.



* Site da editora Borck e Silva: http://www.borckesilva.com.br/index.html