Translate

domingo, 22 de novembro de 2009

O "selvagem" da Bike!




Tinham me comunicado sobre essa matéria no Esporte Espetacular da Rede Globo e não pude assistir no dia, vi hoje e achei surpreendente...
Não somente o talento do ciclista que excelente no que faz, mas pelo fato dele fazer suas manobras por cima do Monumento às Bandeiras, obra prima do mestre Victor Brecheret.
Um dos maiores escultores que este pais teve!
O monumento custou 33 anos de vida do grande mestre, acredito que mereceria um pouco de respeito.
Não sou defensor dos bandeirantes como o símbolo maior para São Paulo e nem para ninguém, pelo estrago que fizeram não são merecedores de monumentos.
Saio em defesa é da obra, da escultura que hoje é um dos pontos mais visitados turisticamente de São Paulo.
 


Brecheret, deve ter se virado no caixão depois dessa reportagem. 



O ciclista não tem culpa, ele estava mostrando sua arte que sem dúvidas é única, mas o que mais me surpreende é de como conseguiram autorização para realizar as filmagens???
Como os governos municipal e estadual autorizaram?
E se porventura quebra algum pedaço da obra?
E quem garante que nada quebrou??
De que adianta depois, fazer programas educativos para as crianças respeitarem os patrimônios da cidade...
Mas e quem vai contrariar a grande Globo?
Tem muita coisa que gosto da Globo, mas nessa matéria, eles erraram e feio...

Abaixo reproduzo o clip e a pergunta que fiz no blog do Esporte Espetacular, mas não acredito que eles publiquem.
Obs: Meu comentário de nº 145 dia 29 de novembro de 2009, foi aceito e postado somente na segunda tentativa.


video


Aqui abaixo a matéria completa do Esporte Espetacular:







Eis meu primeiro comentário enviado:

Vinícius Ribeiro: Seu comentário está aguardando moderação.
Vi, recém hoje, matéria sobre o Selvagem da Bike! 
Realmente o rapaz é fantástico, assombrosamente espetacular.
Mas o que também me chamou a atenção foi o fato dele ter utilizado o Monumento aos Bandeirantes para fazer suas manobras. 
Claro que ele é profissional ao extremo, mas achei totalmente falta de respeito ao símbolo paulista, lindamente feito pelo gênio da escultura brasileira: Victor Brecheret.
Fica o apelo deste admirador da Arte paulista, para que os senhores pensem bem antes de fazer outra matéria “radical” dessas. 
Imaginem se quebra algum pedaço da obra?
Sem falar no péssimo exemplo de preservação do patrimonio público. 
Como esperar que as crianças respeitem se os marmanjos não dão exemplo?
E qual vai ser a próxima obra que irão cruzar por cima? 
O Cristo Redentor no Rio
O Laçador em Porto Alegre?
Espero que meus colegas escultores paulistas se manifestem.
Na esperança que este comentário seja publicado(o que não acredito muito).
Atenciosamente:
Vinícius Ribeiro-escultor- São Luiz Gonzaga-Missões-RS.



 Abaixo o segundo comentário:ou veja aqui no site:http://globoesporte.globo.com/platb/ee/2009/08/08/comentarios-no-blog/#comments
 


Aqui um documentário sobre o Monumento e sobre a vida do seu criador, Victor Brecheret:



4 comentários:

Felipe Bizzi disse...

monumento às bandeiras com certeza é um grande patrimônio do brasil, Brecheret foi um gênio modernista, que depois de ver esse vídeo deve ter perdido a boina que costumava usar aqui na terra hahahahaha... estudei ele a alguns dias na faculdade, muito bomm

Blog do Charles Bakalarczyk disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Blog do Charles Bakalarczyk disse...

É possível que o ciclista seja descendente de guarani e retribuiu aos bandeirantes pelos "bom tratamento" dos paulistas aos índios do tape....eehhh...eehhh...
Bricadeira de lado, penso estar correta a tua crítica e indignação pelo ato que, poderia sim, causar danos ao monumento.

Vinícius Ribeiro disse...

Verdade, Charles! Os Guaranys tem muitas contas a acertarem com os bandeirantes.
Sempre achei a figura do Bandeirante como símbolo equivocado para São Paulo, uma forçada de barra para se criar um herói às pressas, e isso o bandeirante nunca foi, muito pelo contrário.
Pra mim a raiz de São Paulo está no trabalhador do campo, o homem simples: o caipira. Mesma raiz de Minas.
Mas fora isso, a obra de Brecheret é acima de tudo fantástica e não merecia esse tratamento...