Translate

quarta-feira, 8 de julho de 2015

As duas Santas na terra da poesia

                                                                                  

Hoje, 08 de Julho 2015, aniversário morte Jayme(08/09/1999).

 Cruzei a ponte, passei pelo bolicho do Bonifácio em direção ao lajeado, me dirigia à Timbaúva.
Mais uma vez volto aquela terra, mais precisamente à fazenda Santa Terezinha das Rosas da família Ramos.
Era aniversário da poetisa e prima Danci Ramos...
Aquele local é um dos "nascedouros" da poesia gauchesca! Onde a vertente antiga e cristalina continua jorrando. 
Nela bebeu Jayme Caetano Braun durante muitos anos, principalmente quando desiste dos estudos do colégio Júlio de Castilhos(Julinho) abandonando Porto Alegre e decide morar de vez na fazenda; na época do seu tio Danton Ramos.
O centenário hábito de recitar poesia da Família Ramos continua vivo!
Todos os anos, em várias ocasiões, peões e patrões, doutores e assalariados sentam-se lado a lado sem distinções de posses, títulos ou mestrado.
São movidos pela amizade e pela força do hábito de ouvir e recitar poesias.
Em anexo há fotos de algumas vezes que lá fui; há vídeos também, escute e sinta!
As duas Santas na terra da poesia que refiro, são os nomes de duas das mais importantes fazendas históricas da região: Santa Catarina e Santa Terezinha
E as duas fizeram parte do surgimento da poesia, na vida de muita gente!
A centenária fazenda Santa Terezinha das Rosas continua dando seguimento ao que outrora outra fazenda(inclusive mais antiga) Santa Catarina, fazia!
Foi na velha fazenda Santa Catarina onde tudo começou!
Lá na propriedade de Aníbal Caetano e Florinda Ramos que a Família Ramos se reunia para as tertúlias poéticas. Naquele local nasceu Jayme e ouvia seu tio-avô Laurindo Ramos (poeta e coronel revolucionário) declamar e tantos outros. Cresceu no meio das rodas poéticas, sendo cria deste exemplar hábito familiar.
Quer saber por quê Jayme nasceu na Timbaúva? Clica aqui e fique sabendo:
http://viniciusribeiroescultor.blogspot.com.br/2008/05/breve-histrico-de-jayme-caetano-braun.html

Quer saber mais sobre esse local e a origem da veia poética do pajador Jayme Caetano Braun? Então clica aqui:
 http://viniciusribeiroescultor.blogspot.com.br/2009/07/10-anos-de-distancia.html  

Nesta visita presenciamos novamente um festival de emoções! 
A comida excelente, a carne imbatível! 
Quem nunca provou uma ovelha dos campos finos da Timbaúva não conhece o Rio Grande!

Mas o principal foi a tertúlia de poesia e musica! Arrepiante! 

No meio do evento recebo uma notícia espetacular: o atual proprietário da fazenda Santa Catarina, o amigo Oscar Lourenço Vieira Pires, contou que recolocou as telhas da casa antiga. 
Ouve muito desgosto pelos tradicionalistas pelo ocorrido, pois assim desfiguraria a casa onde nasceu Jayme.
Ele explicou que o motivo pelo qual havia retirado as velhas telhas e colocado brasilit foi devido a inúmeras infiltrações, fez isso a pedido do caseiro, porém temporariamente até conseguir pela região outras telhas semelhantes para substituir. 
Por esse motivo guardou empilhadas as telhas ao lado da casa e fixou as folhas do brasilit de modo não definitivo, inclusive sobre uma lona preta, para solucionar o caso naquele momento.
Contou que conseguiu repor todas as telhas, dando aspecto igual ao original e melhor, pois agora sem goteiras e infiltrações.
Sempre achei estranho o que havia ocorrido pois sei do cuidado que ele tem em preservar a história daquele local; Oscar foi um dos primeiros patrocinadores do Monumento ao Pajador de seis metros que fiz para homenagear ao poeta Jayme Caetano Braun, na época havia exposto algumas modificações que queria fazer no local para melhorá-lo sem descaracterizá-lo.
Ouvir da voz dele essa história foi esclarecedor e tranquilizante; uma garantia de que a centenária fazenda continuará preservada.

Não pude ir no local tirar fotos para postar, estava chovendo na fazenda Santa Terezinha e elas ficam distantes uma da outra 3 km. Quando notamos estava na hora de vir embora e tarde demais par ir no local. Pedirei para ele mesmo mandar uma foto atual.


Abaixo vídeos e foto do pajador Orci Machado emocionando os presentes.





Danci Ramos declamando.



José Dirceu Dutra, o poeta Miguelino, declamando.



 
















Quer saber mais sobre esses temas? Clica aqui vivente:http://viniciusribeiroescultor.blogspot.com.br/2007/09/blog-post_7622.html


Um comentário:

Tiago Brazil disse...

OPa, pode dar uma olhada no meu site: www.escultura3d.art.br Obrigado.