Translate

sábado, 11 de abril de 2009

AUSCHWITZ-BIRKENAU - Do limão uma limonada...















 

O Turismo nos Campos de Concentração!

O que para muitos poderia ser motivo de vergonha e justificativa para ser destruído e soterrado, é para os Poloneses crescente fonte de renda.
A cada ano cresce fantasticamente o número de visitantes nos campos de concentrações e extermínios existentes no sul da Polônia, campos esses surgidos na 2ª guerra mundial, para onde eram levados prisioneiros: judeus,intelectuais poloneses, soldados russos, ciganos e outras minorias não bem vistas pelos ideais equivocados nazistas.
As marcas da desgraça e do horror que impregnaram aqueles campos poderiam ter sido escondidas, mas não, foram propositadamente expostas, como um alerta ao mundo.

Uma chaga aberta, difícil de ser esquecida...
São considerados pela UNESCO, patrimônios da humanidade.
Lógico que o rico turismo na Polônia é muito mais que isso, mas os campos de concentração com seus quase um milhão e meio de turistas anuais estão transformando o amargo limão numa limonada.
Só para comparações, o número de turistas diário em Auschwitz é superior ao de nossa cidade(São Luiz Gonzaga) em um ano.
Que quero dizer com isso??
Que é pouca a nossa história??
Que não tivemos também nosso holocausto???
Não, não é isso que quero dizer...
Tivemos nossa minoria perseguida e massacrada! E nosso holocausto veio em forma de um tratado tétrico e obscuro, chamado Tratado de Madrid, onde inexplicavelmente (até os dias de hoje) duas das maiores potências da época: Portugal e Espanha, massacraram, chacinaram milhares e milhares de cristãos que aqui viviam em Paz, na chamada Utopia realizável. 

Fiz um poema sobre esse tema: "Muito mais que simples reduções!" http://viniciusribeiroescultor.blogspot.com.br/2007/10/blog-post_24.html

A diferença nossa para nossos irmãos poloneses é que eles sabem aproveitar a sua história repartindo-a com o resto do mundo e fazendo dela fonte de renda, coisa que nós recém estamos despertando(Felizmente, diga-se de passagem).

Nenhum comentário: